Depois de um tempo em homeoffice

O início

Hoje, fazem exatamente 5 meses que estou trabalhando em homeoffice.

Depois de uma mudança brusca e dolorosa, eu finalmente posso dizer que estou me adequando bem ao novo ambiente e modo de trabalho. Claro, ainda tem algumas coisas que necessito organizar e melhorar, mas posso dizer que no quesito trabalho eu estou me saindo muito bem em casa.

O que mudou?

Muita coisa mudou do final do ano passado para cá, mas as que posso lhes listar aqui que são mais interessantes, e visíveis diferenças de uma vida de um
simples empregado de empresa para um trabalhador em carreira solo, e em casa são:

1. Tenho que buscar meus próprios projetos

É, não recebo simplesmente as tarefas e saio fazendo, eu tenho que buscar os projetos, ver eu mesmo e decidir se posso fazer, levando em consideração, principalmente, meu tempo e meu conhecimento.

2. Tenho que me organizar muito bem

Eu não posso ficar me dando ao luxo de deixar para amanhã as tarefas, eu tenho que definir direito o tempo, tenho que me fazer cumprir o tempo, tenho que me comunicar direito e antecipadamente, não posso me distrair com qq coisa, tenho que organizar minha mesa, meus afazeres de todos os projetos diferentes, juntamente com os afazeres de casa e da faculadde.

3. Tenho que me valorizar e não empilhar projetos

Um bom programador, um bom profissional não é aquele (na minha opinião) que fez muuuuitos projetos, mas sim aquele que fez ótimos projetos. Então eu não posso fugir disto, tenho que organizar os projetos que entro para que meus clientes não fiquem chateados comigo e para que eu não precise me “prostituir”. Meu trabalho tem um valor e este valor é sempre exclarecido e mantido.

4. Faço as tarefas no horário que desejo, mas tenho que fazer no prazo

Fazer as atividades em qq horário não quer dizer deixar para depois, nem poder passar do prazo, tenho que passar cada prazo conforme as previsões de horários previstas para cada semana que terei. Não consigo me organizar para muito longe, geralmente de 1 a 2 semanas é o máximo. Sprints é o que faço, decido minhas tarefas, decido as entregas e faço. As vezes necessito fazer outras coisas durante o dia, ir a faculdade e programo a noite, mas as vezes passo o dia inteiro programando. Tenho como decidir se faço uma viagem no finde ou durante a semana, eventos em qq dia não é um problema,
pois qualquer dia para mim é um dia de trabalho ou não, eu decido, mas, como disse antes não posso deixar de fazer o trabalho.

Como ficou

Métodos de organização e concentração não são o meu forte, mas eu vou achando como fazer isto melhor dia-a-dia.

Antes eu fazia tudo sentado no sofá com uma pequena mesinha para o note, hoje, tenho minha mesa grande, minha cadeira boa e até o meu segundo monitor. Não pensei em tudo no primeiro dia: Nossa, agora que vou fazer tudo em casa, tenho que ter isto, isto, e isto, e vou fazer dessa e daquela forma. Não, não mesmo, a cada dia fui vendo o que mais necessitava, e a cada dia fui arrumando e organizando minha vida profissional homeoffice.

O mais legal e prezeroso de tudo isto é você poder, sozinho, ser o seu próprio chefe, ter autonomia completa da sua vida, fazer somente o que mais gosta, e conforme quiser fazer, porém dedicação, organização e cobrança de si mesmo é imprescindível. Se você falhar com seus clientes, você vai saindo do mercado aos poucos, vai perdendo trabalho e assim sua vida tão sonhada vira um pesadelo.

Um grande abraço.

Nasceu o PyTche

O encontro

Dia 13/Dez/2012, na sala do Bunker260, onde se encontra o grupo Matehackers, um pessoal da atual lista de discução Grupy-RS se encontrou para organizar encontros de Dojo. O Felipe Cifali organizou o encontro e consegui um bom número de pessoas até.

O que aconteceu lá ?

O nascimento do grupo

O novo grupo PyTche nasceu ! Este grupo é um grupo de estudo de Python e Dojo. Os encontros vão aconter semanalmente, nas terças e quintas intercaladamente.

O legal deste grupo inicial é que são pessoas de diversos segmentos de mercado, uns programam já, em java, em C, em Python, outros não programam python e querem aprender a linguagem, outros fazem mineração de dados com ETL, etc… Isto faz com que o grupo junte uma grande gama de conhecimento muito favorável a todos, onde cada um traz sua experiência e seu conhecimento para compartilhar com todos.

Primeira reunião do PyTchê

Algo interessante que todos comentaram foi que iniciaram no Python por terem percebido a facilidade de fazer as coisas com esta linguagem, e gostaram da organização e tal. Isto só comprova que o Python foi pensado mesmo para os programadores!

Agora é aproveitar bem as reuniões, aprender e ensinar, compartilhar informações e experiências profissionais, programar, programar e programar.

Fique ligado no site do grupo, na lista de discussões e no nosso repositório de códigos:

Manual para o Python

Ai fica outra boa dica: a tradução da documentação do tutorial de Python, para pt-BR, foi iniciada pelo Luciano Ramalho, e está disponível em: http://turing.com.br/pydoc/2.7/tutorial/index.html

Além disto, tem os slides dele em: http://www.slideshare.net/ramalho

Um que indico é: Orientação a Objetos em Python

 

Git e Liberações

Volta e meia precisamos separar os arquivos que foram alterados em uma lista de commits…

Para isto eu criei um pequeno script que faz isto, lista os arquivos de N commits do git, copia-os para uma pasta separada e gera um arquivo com a lista dos commits atingidos.

É um script muito simples, mas que vai me ajudar muito.

Link: http://bit.ly/Uiyj3d

Woof + Localtunnel

Uma dica bem interessante para quem precisa volta e meia compartilhar alguma porta web do seu computador local pela rede e internet.

Assim, digamos que você está fazendo um site em Flask ou Django por exemplo, que fica localmente exporto na porte 5000 ou 8000 geralmente, então você quer que seu amigo, lá da casa dele possa dar uma olhada. Como faz ? Sobe ele para uma hospedagem paga ? Sobe ele para um Heroku da vida ? Trabalheira heim … com o Localtunnel você faz isto muito facilmente. O que ocorre é que ele cria uma url não muito amigável, mas fácil de lembrar até, e esta url aponta para seu micro na porta que você indicou, ou seja, seu amigo acessando a url vai estar acessando o seu aplicativo.

basta um simples comando:

$ localtunnel 5000

Blz !

Agora, o woof é um script em python que facilita muito quem quer rapidamente compartilhar via web, na rede interna, um arquivo ou diretório, ou até mesmo receber um arquivo de alguem. Com o woof você não precisa de servidor web, de samba, de libs, de nada.. apenas Python. Por isto a facilidade ! Claro, ele não é um servidor web para produção obviamente.

Para compartilhar um endereço para upload:

$ python woof.py -U

Para compartilhar um arquivo para downoad:

$ python woof.py [-i <ip_addr>] [-p <port>] [-c <count>] <file>

Agora, imagina você utilizando o woof junto com o localtunnel ? Legal não, você tem a facilidade toda do woof na web mundial ! Uhu !

Fonts:

woof : http://www.home.unix-ag.org/simon/woof.html
l
ocaltunnel: http://progrium.com/localtunnel/

PyCursos

Pessoal, esqueci de comentar com vocês, leitores deste blog, que estão rolando muitos cursos legais, online e baratos de Python no PyCursos ! Entre eles o curso de Flask, que eu mesmo leciono.

Aproveitem já ! Mas se perderam a turma de agora, não se preocupem, mais turmas irão abrir !

http://pycursos.com/flask

 

Como empacotar aplicações Python ?

Veja o artigo completo em: http://www.ibm.com/developerworks/br/library/os-pythonpackaging/index.html